Raphael

Raphael

Quinta, 29 Junho 2017 11:12

ESCALA DE MISSAS - JULHO 2017

PREZADOS

Segue a Escala de Missas do Mês de Julho.

Terça, 27 Junho 2017 10:07

Faça o Bem

“Se você deseja o bem, o bem te deseja também” (Bruna Vieira).

A grandeza vem não quando as coisas sempre vão bem para você, mas a grandeza vem quando você é realmente testado, quando você sofre alguns golpes, algumas decepções, quando a tristeza chega. Quando estamos no fundo de um vale, podemos contemplar a beleza da montanha e nos dispor a subir...

Desejar o BEM é querer que as coisas boas, a luz, a alegria, paz e a felicidade envolvam as pessoas. Isso significa também que devemos orar em espirito e verdade pela evolução da humanidade e ter ações e atitudes que demonstrem esse DESEJO. Então, abra-se à LUZ e permita que a luz, a partir de você aconteça também para as pessoas... Como a lua cheia, reflita a luz para as pessoas que, com você, fazem a travessia da vida...

Abraços terapêuticos,

Frei Paulo Sérgio, ofm

Sexta, 23 Junho 2017 14:58

Perfeição

“Adoramos a perfeição, porque não a podemos ter; repugná-la-íamos se a tivéssemos. O perfeito é o desumano porque o humano é imperfeito” (Fernando Pessoa).
 
A per-feição funciona como uma projeção: lançamo-la à frente, como um sonho, como uma abstração do real! O que realmente existe é a imperfeição, pois tudo gira, se renova e se transforma no ir e vir do movimento onde a existência acontece: seja fora, no visual, nos fenômenos; seja dentro, no coração, a alma e no desejo!
 
O humano foi feito e criado na fragilidade e na imperfeição: ele é vir-a-ser! Projeto de infinitude que acontece no tempo e no espaço da vida e da história! E é nesta experiência que vamos nos a-perfeiçoando, transformando a realidade e a própria vida. A cada novo dia temos a possibilidade de superar os limites, transcender a nós mesmos, no desejo de fazer acontecer o projeto infinito a que estamos destinados...
 
Tenha um excelente fim de semana!
Frei Paulo Sérgio, ofm
Quinta, 22 Junho 2017 10:19

Ética

"Tem coisa que eu quero mas não devo, tem coisa que eu devo mas não posso e tem coisa que eu posso mas não quero” (Mario Sergio Cortella).

 

Ética é o conjunto de valores e princípios que devemos utilizar no cotidiano da vida. A ética não deve ser apenas um conceito ou um conjunto de ideias, mas algo vivencial, que se aplica nas relações humanas. De nada adianta saber o que é ética e não praticá-la, não incorporá-la em nossas ações... Devemos aplicá-la nas questões fundamentais da vida, tais como:  quero? devo? posso?

 

A crise ética que acompanhamos na política brasileira é o resultado de nossa sociedade. O congresso nacional é o espelho de nossa sociedade! Lá estão pessoas que são fruto de nossa sociedade... É preciso que abandonemos práticas antigas e arraigadas em nós... Deixar de lado o “jeitinho brasileiro”, a Lei do Gérson, o desejo de querer levar sempre vantagem em tudo... Somente assim vamos evoluir em nossa ética e em valores que realmente nos fazem cristãos verdadeiros...

 

Tenham um abençoado e iluminado dia!

Frei Paulo Sérgio, ofm

VATICANO, 21 Jun. 17 / 09:40 am (ACI).- Durante a Audiência Geral na Praça de São Pedro, no Vaticano, o Papa Francisco explicou que para ser santos “não significa rezar o dia todo” e assegurou que o que se deve fazer é “cumprir os deveres com o coração aberto a Deus”.

“Pensamos que é uma coisa difícil, que é mais fácil ser delinquente do que santo. Não. É possível ser santos porque o Senhor nos ajuda. É Ele quem nos ajuda”.

Em uma nova catequese centrada na esperança, o Santo Padre refletiu sobre os santos, “testemunhos e companheiros da esperança”. Recordou como, “no dia do nosso Batismo, ressoou para nós a invocação dos santos. Muitos de nós, naquele momento, éramos crianças, levados nos braços por nossos pais”.

Essa ocasião, sublinhou o Pontífice, “foi a primeira em que, durante a nossa vida, nos era presenteada essa companhia de irmãos e irmãs maiores – os santos – que passaram pela nossa mesma estrada, conheceram as nossas mesmas fadigas e vivem para sempre no abraço de Deus”.

“Deus não nos abandona jamais”, assegurou. “Em toda ocasião em que estejamos necessitados, virá um de seus anjos para nos dar consolo”. “Os santos de Deus estão sempre aqui, ocultos em meio a nós”.

Contudo, assinalou o Papa, “alguém de vocês poderia me perguntar: ‘Mas, Padre, pode-se ser santo na vida de todos os dias?’. ‘Sim, pode’. ‘Mas isso significa que devemos rezar todo o dia?’. ‘Não’. Isso significa que você deve cumprir os seus deveres durante todo o dia: rezar, ir ao trabalho, cuidar dos filhos... E fazer tudo com o coração aberto a Deus. Com essa vontade de que esse trabalho, também na doença, no sofrimento, na dificuldade, esteja aberto a Deus. E assim seremos santos”.

Francisco destacou que “os cristãos, no combate contra o mal, não se desesperam. O cristianismo cultiva uma incurável confiança. Não crê que as forças negativas e que dividem podem prevalecer. A última palavra sobre a história do homem não é o ódio, não é a morte, não é a guerra. Em todo momento da vida nos assiste a mão de Deus e também a discreta presença de todos os fiéis que nos precederam no sinal da fé”.

“A assistência deles nos diz antes de tudo que a vida cristã não é um ideal inatingível. E, ao mesmo tempo, nos conforta: não estamos sozinhos, a Igreja é feita de inúmeros irmãos, às vezes anônimos, que nos precederam e que, pela ação do Espírito Santo, estão envolvidos nos assuntos dos que ainda vivem aqui”.

O Bispo de Roma insistiu que a invocação dos santos durante o Batismo “não é a única invocação dos santos que marca o caminho da vida cristã”. E como exemplo, citou os sacramentos do matrimônio e do sacerdócio.

“Quando dois noivos consagram seu amor no sacramento do Matrimônio – afirmou –, invoca-se de novo para eles, desta vez como casal, a intercessão dos santos. E esta invocação é fonte de confiança para os dois jovens que partem para a viagem da vida conjugal”.

Em relação ao matrimônio, indicou que “quem ama verdadeiramente tem o desejo e a coragem de dizer ‘para sempre’” e, se não estão dispostos a dizer “para sempre”, “que não se casem! Ou para sempre, ou nada”. “Mas, sabem que têm necessidade da graça de Cristo e da ajuda dos santos”, disse. “Por isso, na liturgia nupcial invoca-se a presença dos santos”.

Sobre o sacramento do sacerdócio, lembrou que “também os sacerdotes preservam a recordação de uma invocação de santos pronunciada sobre eles. É um dos momentos mais tocantes da liturgia da ordenação. Os candidatos se prostram por terra, com o rosto em direção ao chão. E toda a assembleia, guiada pelo Bispo, invoca a intercessão dos santos”.

“Somos pó que aspira ao céu. Fracos em nossa força, mas potentes no mistério da graça que está presente na vida dos cristãos”, finalizou.

Terça, 20 Junho 2017 09:19

Felicidade

“É difícil tornar infeliz o homem que se sente digno e louva o grande Deus que o criou” (Abraham Lincoln).

A verdadeira essência do ser humano consiste em sua dignidade e em seu bom caráter e na vivência ética. Não adianta você querer demonstrar que tem bom caráter apenas com palavras bonitas. Demonstre-o com atitudes, com atos e provas de que és digno de credibilidade.

Quando construímos nossa vida num caminho ético, com certeza estabelecemos nossa conduta em princípios que são valiosos, que contribuem para nosso crescimento humano e espiritual. A felicidade vai sendo edificada no conjunto da própria vida e, consequentemente, vamos agregando outras pessoas de bem para nossa proximidade...

Seja feliz hoje, com tudo aquilo que você é com tudo aquilo que você tem...

Frei Paulo Sérgio, ofm

Dizer coração é dizer amor, o amor inatingível e desinteressado, o amor que vence pela inutilidade, que triunfa pela fraqueza, que morto dá a vida, o amor que é Deus.
Karl Ranher

Frontispício

Ninguém se afaste do amor
do vosso bom Coração.
Buscai, nações, nessa fonte
as graças da remissão.

Aberto foi pela lança
e, na paixão transpassado
deixou jorrar água e sangue
lavando nosso pecado

Hino das I Vésperas da Solenidade

Por ocasião da celebração da solenidade do Coração do Redentor fixemos nossa atenção no mistério pascal que se concretiza no dom da vida do Senhor e em seu peito aberto. Sangue e água, morte e vida. Dor e amor. Dor e abandono fecundos. Todos podemos beber, com perene alegria, nas fonte salvador.

1. O coração é espaço do homem que é síntese de sua pessoa. O coração é a parte central do homem. É lá que todo o seu ser toma consistência e consciência de sua unidade. A partir deste nó primordial é que o ser humano se desenvolve, se desdobra, ele que é alma corpo e espírito. É ali que tudo se liga e se consolida, para lá tudo converge. De lá partem todas as correntes vitais do homem, todos os caminhos de sua vida pessoal. Toda palavra, decisão ou ação que reflete a integralidade e a autenticidade da pessoa são oriundas desse centro dela que é o coração, único ponto onde se concentra a totalidade do ser humano. Tudo o mais é sem conteúdo e consistência; todo o resto, no plano da pessoa, nada mais é do que realidade informe. E o homem pode amar de todo o coração. Quer dizer com sua essência. O coração de carne é símbolo dessa unidade interna, desse coração de lá dentro. Jesus tem o coração aberto. Esvaziou-se e deu tudo. Amou até o fim.

2. Duas realidades deverão ser levadas em consideração na transfixão do coração. “Sobre a cruz contemplamos um coração morto e ferido pela morte; mas é um coração que do mais profundo dessa morte, no instante mesmo em que é aniquilado, deixa prorromper a fonte da vida, a água e o sangue, sinais da ressurreição. Como diz Orígenes, o novo Adão adormecido na cruz não foi como os outros mortos. Do mais profundo da morte deu mostras de vida na água e no sangue e foi por assim dizer um morto novo. Necessário captar bem a novidade radical do evento que se realiza em referência ao antigo sono (de Adão). Este constitui um daqueles sinais gloriosos de que se compraz o evangelista João na descrição do relato da Paixão. Aquele cadáver suspenso no patíbulo maldito já é o corpo do Ressuscitado” (Édouard Glotin). Ao morrer, ao realizar tudo o que era possível realizar, já inaugurava a ressurreição.

3. A efusão de sangue e de água recordava a fragilidade da natureza humana de Cristo sujeita à paixão e à morte, a água que brota manifesta já a ressurreição e a vida no Espírito. Para João, esse mistério da paixão-morte-ressurreição se realiza no momento querido pelo Pai, aquela hora pela qual Cristo havia tanto suspirado. Tudo isso brota do coração de Cristo, ou seja, da totalidade dele mesmo.

4. E agora São Boaventura: “Considera, ó homem redimido, quem é aquele que por tua causa está pregado na cruz, qual é a sua dignidade e grandeza. A sua morte dá vida aos mortos, por sua morte choram o céu e a terra, e fendem-se as pedras mais duras. Para que do lado de Cristo, morto na cruz, se formasse a Igreja e se cumprisse a Escritura que diz: Olharão para aquele que transpassaram (Jo 19,37), a divina Providência permitiu que um dos soldados lhe abrisse com a lança o sagrado lado, de onde jorraram sangue e água. Este é o preço da nossa salvação. Saído daquela fonte divina, isto é, do íntimo de seu coração, iria dar aos sacramentos da Igreja o poder de conferir a vida da graça, tornando-se para os que já vivem em Cristo bebida da fonte viva que jorra para a vida eterna” (Liturgia das Horas III, p. 571).

5. Agora, a vez de João Crisóstomo: “De seu lado saiu sangue e água (Jo 19,4). Não quero, querido ouvinte, que trates com superficialidade o segredo de tão grande mistério. Falta-me ainda explicar-te outro significado místico e profundo. Disse que esta água e este sangue são símbolos do batismo e da eucaristia. Foi desses sacramentos que nasceu a santa Igreja, pelo banho da regeneração e pela renovação do Espírito Santo, isto é, pelo batismo e pela eucaristia que brotaram do lado de Cristo. Pois Cristo formou a Igreja de seu lado traspassado, assim como do lado de Adão foi formada Eva, sua esposa (Liturgia das Horas II, p. 416).

6. E uma prece para concluir:

Nas chagas gloriosas do Senhor
Senhor Jesus, contemplo teu Coração dilacerado,
coloco-me diante desta porta aberta,
desse abrigo seguro,
desse ninho acolhedor e protetor.
Vou caminhando pelas trilhas da vida:
hoje encontro amigos e delícias na convivência,
amanhã defronto-me com a solidão e experimento
o gosto amargo de tantas decepções, rivalidades, conflitos.
Cheio de ânsias de amar e ser amado,
Senhor Jesus, tropeço em ilusões,
choco-me com fantasias egoístas,
cambaleio de fraqueza.
Sou um ser de contradições e paradoxos.
Canso-me correndo atrás de quimeras.
Extenuado, deito às margens dos caminhos da vida
e agora posto-me diante de teu coração aberto.
Deixa, Senhor, que eu descanse em teu coração,
que eu entre nessa intimidade vigorosa e quente.
Aguardo a força do teu amor que jorra desse
Coração dilacerado, dessa fenda aberta de teu lado.

 Frei Almir Guimarães

Quarta, 14 Junho 2017 14:47

Gratidão

“Embora seja curta a vida que nos é dada pela natureza, é eterna a memória de uma vida bem empregada” (Cícero).

O fundamental em nossa vida é encontrar sentido no próprio caminhar da existência, no próprio viver. O acaso, como bem sabemos, não existe! Sorte significa estar no lugar certo, na hora e fazer o que é certo. Dessa maneira, dar sentido ao cotidiano, aos afazeres, às pequenas coisas vai povoando nosso coração de momentos que ajudam a construir o todo da vida.

Infelizmente enchemos nossa mente de pensamentos negativos e de projetos fantasiosos. Temos facilidade em reclamar aquilo que não temos e não aproveitamos o muito que já possuímos. O espírito de gratidão a Deus é o melhor remédio para nos curar de tais amarguras, pois a gratidão nos enche de alegria, felicidade e paz. Procure significar sua vida através da missão confiada a você. Reze com sua família, com sua equipe de trabalho e seja grato (a) a Deus por tantas bênçãos e pelo dom maior da VIDA...

Abraços terapêuticos,

Frei Paulo Sérgio, ofm

Segunda, 12 Junho 2017 11:05

Dia dos Namorados

“Quando Deus te desenhou/ Ele tava namorando/ Quando Deus te desenhou/ Ele tava namorando/ Na beira do mar/ Na beira do mar, do amor” (Armandinho).

Namorar é cortejar, cativar, atrair... Deus estava enamorado de sua criação, se alegrava quando criava tudo de seus lábios. E o Criador viu que tudo era muito bom quando criou o gênero humano à sua imagem e para ser também a Sua semelhança. Deus Se alegrou e continua Se alegrando quando nós respondemos positivamente aos Seus projetos de amor!

A experiência do namoro é algo maravilhoso: faz dois seres se aproximarem, trocarem experiências, crescer na confiança mútua. No namorar começamos a mostrar nossa verdadeira identidade, saindo de nossos papéis e de nossas vestimentas exteriores. Namorar é se revelar e permitir que o (a) outro (a) também se revele... Sem pressa, sem forçar, sem queimar etapas...

Feliz dia dos namorados para você que namora, pra você que é já é casado e pra você que é um eterno enamorado da beleza da criação e da vida que Deus nos concede!

Frei Paulo Sérgio, ofm