Paróquia e Santuário Santo Antônio - Itens filtrados por data: Quarta, 16 Janeiro 2019

Durante a Missa celebrada na manhã desta quinta-feira, 17 de janeiro, na Casa Santa Marta, o Papa Francisco disse que "a Palavra de Deus, a graça do Espírito Santo, não é ideologia: é vida que o faz crescer, ir avante".

Além disso, o Santo Padre afirmou que a Palavra de Deus também permite "abrir o coração aos sinais do Espírito, aos sinais dos tempos”. Por outro lado, a ideologia “é uma obstinação”. “A obstinação é também orgulho, é soberba. A teimosia, aquela teimosia que faz muito mal: fechados de coração, duros".

"Mas eu tenho um coração teimoso? Cada um pense. Eu sou capaz de ouvir as outras pessoas? E se penso diversamente, dizer: ‘Mas eu penso assim…’ Sou capaz de dialogar? Os obstinados não dialogam, não sabem, porque se defendem sempre com as ideias, são ideólogos. E as ideologias quanto mal fazem para o povo de Deus, quanto mal! Porque fecham a atividade do Espírito Santo", exclamou o Papa.

Por esta razão, o Pontífice alertou sobre o perigo de ter um coração endurecido, um coração fechado "que não quer crescer, se defende, se fecha", e exortou cada um a se perguntar como é seu coração.

"Podemos nos questionar: eu tenho o coração duro, tenho o coração fechado? Eu deixo o meu coração crescer? Tenho medo que cresça? E se cresce sempre com as provações, com as dificuldades, se cresce como crescemos todos nós quando crianças: aprendemos a caminhar caindo, do engatinhar ao caminhar quantas vezes caímos! Mas se cresce com as dificuldades", disse.

Nesta linha, o Papa também alertou sobre o risco de ter um coração perverso pela "sedução do pecado" e acrescentou que "com a sedução ou você se converte e muda de vida, ou tenta fazer pactos" até que você comece a ter "uma vida cristã dupla".

Ao finalizar, o Papa invocou o Espírito Santo, para que “nos ilumine para que ninguém tenha um coração perverso: um coração duro, que o leva à pusilanimidade; um coração obstinado que o leva à rebelião; um coração seduzido, escravo da sedução, que o leva a um cristianismo de pacto".